Neste fim de semana fui ao mercado, fazer algumas compras para abastecer a despensa de casa e, ao procurar por um café me deparei com uma caixa de cápsulas para Nespresso do café Pilão.

Peguei a caixa para olhar atentamente, pois até aquele momento, eu só conhecia a versão com as famigeradas cápsulas de plástico. E realmente eram as cápsulas de alumínio.

Aviso aos novo proprietários de uma máquina Nespresso:

Jamais comprem cápsulas de plástico, pois além de correrem o risco de danificar a sua máquina Nespresso, o gosto do café fica comprometido por causa do plástico com a água quente no momento da preparação – se bobear, deve ser tóxico também.

E muitas vezes as cápsulas de plástico não funcionam corretamente.

O preço estava bom – pelo menos no Angeloni aqui perto de casa – devido a promoção que ao comprar 4 caixas eu pagava somente 2, totalizando quase 40 reais (10 reais por caixa). Não sei se era alguma promoção de lançamento, mas o preço estava muito bom. Vale ressaltar que uma caixinha de 10 cápsulas de Ristretto, sai por R$ 19,00 na loja online da Nespresso.

Comprei 4 caixas, sendo 1 caixa do Lungo 8, 1 caixa do Espresso 10 e 1 caixa do Espresso 12 (pois prefiro os cafés mais intensos), ansioso para experimentar a nova versão.

Caixa de cápsulas de café Pilão aberta
Caixa com 10 cápsulas para Nespresso do café Pilão aberta.

Ao abrir a caixa, achei a distribuição das cápsulas familiar. E lembrei que se pareciam com as cápsulas de alumínio da L’Or – depois de pesquisar, descobri que pertence ao mesmo “dono” do café Pilão, a Jacobs Douwe Egbert (JDE), o que explica a semelhança.

A preparação do café com a cápsula de alumínio do café Pilão

Cápsulas de alumínio do café Pilão para as máquinas Nespresso
Cápsulas de alumínio do café Pilão

Peguei uma das cápsulas e inseri na minha Nespresso Pixie de 4 anos. O encaixe da cápsula na gaveta foi perfeito e, enfim, era a hora do teste de fogo – ou melhor do café.

A preparação do café foi perfeita, como se fosse uma cápsula de alumínio original da Nespresso. Pelo que vi a água não teve problemas ao escoar pela cápsula, diferente do que acontece com as cápsulas de plástico.

O café estava delicioso, forte como eu gosto e com uma leve espuminha cobrindo o café – perfeito.

A dispensa da cápsula ao abrir a “gaveta” também foi tranquila. Sem engasgos.

Mais sobre as cápsulas de alumínio do café Pilão

Olhando a embalagem, é possível notar que as cápsulas são importadas e assim como à sua “irmã” L’Or, ambas são fabricadas na França.

E no site do café Pilão, há mais uma informação importante para você que quer comprar estas cápsulas do café Pilão:

Pilão lança uma nova cápsula de café espresso compatível com máquinas de café Nespresso®*, com exceção dos Modelos U®*, Umilk®*, Expert®*, Expert&Milk®*, Prodigio®* e Prodigio&Milk®*, produzidos depois de 25 de Julho de 2016. A nova cápsula de alumínio Pilão Espresso proporciona mais aroma**, intensidade e uma espuma mais rica**.

** Todas as comparações sobre aroma, espuma, intensidade e sabor referem-se às cápsulas de plástico existentes compatíveis com os aparelhos de café Nespresso®*.

*Marca de um terceiro, não relacionado à Jacobs Douwe Egberts BR Comercialização de Cafés LTDA.

Logo, antes de comprar, verifique se o modelo da sua máquina Nespresso é compatível com as cápsulas de alumínio do café Pilão.

Outras opções no mercado

Como mencionei acima, já testei algumas cápsulas de plástico para Nespresso de marcas nacionais – Café do Ponto (horrível!) – e uma importada – Caffé Corsini (péssima também) -, que não funcionaram na minha Nespresso.

Até agora, só tive sucesso com as cápsulas de alumínio da L’Or, sei que há outras marcas no mercado, mas os preços não são muito convidativos.

Existem também as opções de cápsulas de alumínio reutilizáveis:

  • Tostio – fabricada no Brasil – de R$ 89 ou R$ 169
  • Waycap – importada da Itália – de R$ 250 as R$ 400
  • Mycoffestar – importada da Suiça – R$ 370

O pessoal da Grão Gourmet produziu um vídeo muito bacana fazendo um comparativo entre as cápsulas acima:

As cápsulas reutilizáveis podem até valer a pena financeiramente falando, a médio prazo. Mas eu, pessoalmente, vendo alguns outros vídeos de review destas cápsulas achei um tanto trabalhoso recarregar uma cápsula.

Nesse caso eu prefiro utilizar a minha cafeteira expressa da Oster que tenho em casa e que também faz um ótimo café.

E para quem tem uma Nespresso, a grande vantagem é a praticidade para preparar um café, mas enfim cada um sabe o que fazer com a sua Nespresso.

Existem também as reutilizáveis de plastico, mas nem vou perder o tempo citando.

E a reciclagem das cápsulas de alumínio?

Onde descartar as cápsulas de alumínio.

Bom, quem é dono de uma máquina Nespresso sabe que a marca possui um serviço de reciclagem que recolhe as cápsulas de alumínio utilizadas em suas lojas. Porém para quem mora longe das grandes capitais, isso é impossível – a não ser que você leve suas cápsulas a uma”loja mais próxima”.

Mas a JDE fez um bom trabalho nesse sentido, a empresa fechou uma parceria com a empresa de reciclagem TerraCycle, criando o projeto Reciclo onde a partir de um cadastro, você ganha uma etiqueta de envio pré-pago para enviar a uma remessa de 20 ou mais cápsulas (de alumíno ou plásticas) das marcas Pilão Cápsulas, L’Or Espresso ou Pelé Graníssimo pelos Correios. Gratuitamente.

Bem prático!

Concluindo

Para quem mora fora das capitais ou grandes centros urbanos, fica difícil encontrar uma loja da Nespresso para comprar as suas cápsulas e comprar online na loja virtual só compensará se você comprar a partir de 150 cápsulas, pois aí terá o frete grátis.

Com esse lançamento da Pilão, ficou fácil encontrar cápsulas de alumínio compatíveis nos supermercados mais próximos a você.

Só espero que num futuro próximo a JDE/Pilão, passe a fabricar suas cápsulas de alumínio em território brasileiro e consiga baratear os preços das cápsulas.

Só para avisar, produzi este post por conta própria, não recebi nenhum incentivo ou patrocínio da Pilão, L’Or ou Angeloni.

Mas deixo livre se quiserem me mandar uma lembrança, rs.