Descanse em paz Internet Explorer 6

O sonho de todo desenvolvedor web está se concretizando: parar de fazer manobras de cunho duvidoso para atender aos navegantes que ainda usam a versão 6 do famigerado Internet Explorer.

Nas últimas semanas houveram muitos burburinhos sobre isso, a começar pelo Google que optou não dar mais suporte ao IE6 em seu carro-chefe: a busca (anteriormente a Big G já havia feito a mesma coisa no YouTube). Com essa declaração algumas agências web também optaram por parar de desenvolver sites compatíveis com navegador, afinal a economia de código e tempo de desenvolvimento são bem relevantes.

Mas a questão é: a hora é realmente essa?

Para responder essa pergunta, hoje eu fiz uma análise nos dados de visitação do site PetMag (www.petmag.com.br) que é um site visitado por um público mais diversificado, ou seja, não são (necessariamente) amantes de tecnologia ou visitantes em horário comercial (empregados) que poderiam ter a versão mais recentes do IE ou de algum outro navegador.

E para minha surpresa, o número de usuários do IE6 ainda representa 16% dos visitantes, o que ainda é uma quantidade a ser considerada. Será que podemos ignorar esse número e partir para o desenvolvimento de sites incompatíveis com o IE6?

Isso me lembra uma história de uma das primeiras lojas virtuais brasileiras – na época da guerra dos browsers entre Netscape e Internet Explorer -, cujo cenário já apontava um ganhador (adivinha quem) e essa loja virtual optou por reformular o site para atender somente ao IE.

Algumas semanas depois, a tal loja começou a sentir uma considerável queda em suas vendas. Para tentar detectar o que realmente aconteceu, fizeram testes e mais testes e nada havia sido encontrado. O problema foi só encontrado após uma pesquisa com os compradores cadastrados, que revelou o motivo: a incompatibilidade da Loja Virtual com o Netscape.

E a pesquisa mostrou que o perfil do usuário do Netscape na época era uma pessoa de nível superior, interessada por arte e cultura e que fazia muitas compras virtualmente, ou seja, justamente o perfil do público da loja virtual. Bom, o restante não preciso nem dizer.

Enfim, antes de encerrar de vez o desenvolvimento para o IE6 é importante avaliar o perfil do público que acessará o seu site ou determinado projeto, pois pode ser que os 16% acima signifiquem muito mais do que apenas uma queda no número de visitantes.

E para ilustrar um pouco mais, veja abaixo uma tira publicada na Smashing Magazine:

IE6 - tira